Pelo menos uma vez você deve ter desenvolvido afta na boca. Esse é um problema comum que afeta pessoas de todas as idades. Embora não sejam graves, as aftas incomodam e dificultam a mastigação, a higienização da boca e a fala.

Para que você aprenda quais cuidados devem ser tomados e como prevenir essas feridas, preparamos este artigo com os tipos diferentes de aftas, suas causas, sintomas e tratamentos. Acompanhe!

Tipos de afta na boca

A afta é uma inflamação que se desenvolve na mucosa bucal. Tem formato oval e tonalidade que varia entre esbranquiçada e amarelada, em alguns casos, não apresenta pus ou sinais de infecção.

É um problema comum do dia a dia, mas que incomoda, porque costuma ser doloroso. Existem tipos diferentes de afta, que classificam a lesão de acordo com a sua gravidade e abrangência. São eles:

Afta minor

Lesões isoladas pequenas e geralmente únicas, com, no máximo, 8 mm. Cicatrizam sozinhas entre 6 e 15 dias. É o tipo mais frequente.

Afta major

Ulceração mais extensa, com cerca de 1 cm. Não é tão comum e, por atingir uma grande área, pode deixar cicatriz. Quando se manifesta de forma intensa e frequente, é chamada periadenite mucosa necrótica recorrente.

Herpetiforme

Aftas que surgem agrupadas ou em grandes quantidades espalhadas pela boca. É pouco frequente e pode indicar que o organismo está em desequilíbrio.

Causas e sintomas desse problema

As aftas são inflamações benignas e não contagiosas, mas ainda não foi definida uma causa única e exata para elas — embora se saiba que são estimuladas por:

  • baixa imunidade;
  • traumas;
  • alterações gástricas;
  • carências nutricionais;
  • lesões preexistentes;
  • excesso de acidez bucal;
  • estresse;
  • alguns produtos de higiene oral;
  • tabagismo;
  • variações hormonais;
  • reações alérgicas;
  • doenças infecciosas;
  • temperos muito fortes;
  • medicamentos;
  • consumo excessivo de refrigerante, café ou chocolate.

Quando algo está errado no organismo, a afta pode surgir como uma resposta do corpo a esse desequilíbrio. Ela desencadeia sintomas como:

  • dor, ardência, coceira, vermelhidão e irritação na região;
  • lesões com ou sem pus;
  • pequenos sangramentos;
  • dor ou incômodo para mastigar e falar;
  • alterações no paladar.

Algumas pessoas estão em grupos de risco e apresentam maior probabilidade de desenvolverem afta na boca, como aquelas que têm tendência genética, apresentam distúrbios imunológicos e outros abalos na saúde.

Também está mais propenso a elas quem usa aparelhos ortodônticos ou próteses, mantém uma alimentação desequilibrada, não realiza a higiene bucal adequada e tem o hábito de mastigar objetos duros.

Diagnóstico e tratamentos disponíveis

Embora seja possível identificar a afta em casa, qualquer lesão na cavidade oral deve ser analisada por um especialista. Isso porque é fundamental eliminar a suspeita de outros problemas e investigar aquilo que pode ter causado a ulceração.

Um exame físico é suficiente para obter um diagnóstico, depois, o especialista definirá o melhor tratamento para favorecer a cicatrização. A abordagem é feita com base na gravidade das lesões e sua extensão.

No tratamento, são utilizados medicamentos tópicos, como analgésicos em spray, gel ou pomada, antissépticos, antibacterianos e anti-inflamatórios. Em casos mais graves, o especialista pode receitar medicamentos de uso oral para um tratamento mais intenso.

Medidas caseiras somente devem ser adotadas se forem indicadas pelo dentista. Isso porque, em alguns casos, elas podem tornar ainda mais grave os sintomas e dificultar a cicatrização dos tecidos lesionados.

Cuidados e prevenção

Ao ter uma afta na boca, é importante tomar certos cuidados para evitar que ela se agrave. Essas medidas favorecerão a cicatrização mais rápida, então:

  • higienize a boca após cada refeição;
  • evite tocar o local lesionado;
  • aplique apenas os medicamentos indicados pelo dentista;
  • evite alimentos ácidos, temperados ou quentes;
  • prefira alimentos fáceis de mastigar.

Mas o ideal é prevenir as aftas, então, adote um cardápio nutritivo, cuide da higiene bucal e evite ferir a cavidade oral. Controle a saúde orgânica para tratar problemas no começo e evitar que evoluam ao ponto de estimular ulcerações.

As consultas com o dentista são muito importantes. Além de evitar a formação de afta na boca, ele realizará procedimentos para manter sua saúde bucal. Assim, você terá um sorriso sempre belo e saudável, livre dessas inflamações e problemas.

Aftas são muito comuns, por isso, compartilhe esse artigo em suas redes sociais para que seus amigos também saibam como tratá-las.