Quando nosso organismo fica desidratado, sentimos a boca seca, mas isso pode ser facilmente resolvido com a ingestão de água. Porém, essa não é uma solução para todas as pessoas, porque existem casos em que a desidratação não é o problema.

A produção insuficiente de saliva pode ter sua origem em outras condições. Mas, independentemente da causa, é preciso buscar tratamento, porque ela pode ser um sinal de que algo está errado e precisa de atenção.

Neste artigo, vamos explicar o que interfere no fluxo salivar e quais são as complicações que a boca seca pode trazer. Continue lendo e saiba mais sobre os sintomas, possíveis causas e tratamentos!

Sintomas e complicações da boca seca

A saliva tem diversas funções e, entre elas, está a manutenção da hidratação das mucosas e a limpeza natural dos dentes e da boca. Por isso, ela é fundamental para manter o equilíbrio da saúde bucal, evitando que outros problemas se manifestem.

Quando sentimos sede, é natural que a boca fique seca, porque o fluxo salivar diminui, mas, para algumas pessoas, essa é uma condição que não cessa. Em alguns casos, isso desencadeia sintomas contínuos que trazem incômodos e geram abalos para a saúde bucal. Alguns deles são:

  • ressecamento na boca e na garganta;
  • saliva viscosa;
  • mau hálito;
  • alterações no paladar;
  • dificuldade para deglutir ou falar.

Além de ocasionar essas manifestações incômodas, a boca seca também aumenta a suscetibilidade a outros problemas e doenças. Como a saliva é responsável por promover a higienização da boca, se ela é insuficiente também aumentam as chances de desenvolvimento de cáries.

As inflamações na gengiva e tecidos periodontais surgem com mais frequência, porque a formação da placa bacteriana é estimulada pelas condições favoráveis. Também ocorrem com mais frequência infecções na boca e na faringe, bem como ulcerações no tecido bucal.

Principais causas desse problema

A boca seca pode ter sua origem em diversas causas, sendo a desidratação comum para todas as pessoas. Porém, existem casos mais específicos que desencadeiam esse problema. São eles:

  • o uso de alguns medicamentos por tempo prolongado;
  • tratamento com quimioterapia ou radioterapia;
  • doenças autoimunes;
  • deficiências nutricionais;
  • envelhecimento natural;
  • nervosismo ou estresse.

É válido ressaltar que o termo médico empregado para definir a boca seca é xerostomia, sendo esse um sintoma decorrente das várias condições que já citamos neste artigo. Quando o problema está nas glândulas salivares, que produzem pouco ou nenhum fluxo salivar, esse problema recebe o nome de hipossalivação ou hipossialia.

Tratamento para boca seca

Para tratar a boca seca, a primeira medida adotada deve ser consultar um dentista. Por meio de avaliação ou exames, esse profissional identificará as causas do problema para, então, indicar o procedimento mais adequado em cada caso.

Quando esse sintoma é provocado apenas pela desidratação, basta aumentar a ingestão de líquidos ao longo do dia. Mas, quando sua origem está em outros fatores, podem ser indicados medicamentos para estimular o fluxo salivar, bem como sprays para reposição da saliva.

Além disso, também é preciso estudar os hábitos do paciente e observar se os medicamentos que ele faz uso podem causar a xerostomia. Quando isso ocorre, o ideal é conversar com o médico responsável para avaliar se é possível substituir a fórmula.

Se você perceber que a sua boca está seca e beber água não resolve, procure um especialista. Afinal, o fluxo salivar é fundamental para manter o equilíbrio da saúde bucal, além de garantir a digestão dos alimentos. Por isso, consulte um profissional para identificar a causa da xerostomia e proceder com o tratamento mais adequado.

Você já teve boca seca ou conhece alguém com esse problema? Deixe seu comentário e conte para a gente qual foi a causa e o tratamento adotado!