clareamento dental é um procedimento odontológico, com finalidade estética, que clareia o esmalte dos dentes. Ele é muito procurado em razão dos benefícios que traz para a aparência dos dentes, por consequência, para a imagem das pessoas.

Mas, apesar de ser um procedimento popular, ainda há alguns detalhes que as pessoas desconhecem ou não têm certeza. Por isso, no artigo de hoje, vamos responder às perguntas frequentes sobre clareamento dental.

Continue lendo e conheça um pouco mais sobre esse tratamento, que é capaz de mudar o sorriso das pessoas, renovando sua autoestima.

1. Qual é a diferença entre o clareamento caseiro e o de consultório?

No que se refere a resultados, não existe diferença entre os dois tipos de clareamento. Ambos são eficazes para alcançar uma tonalidade mais clara para os dentes, de forma segura. O que varia entre eles é o método utilizado.

O clareamento de consultório é feito em sessões com o dentista. Ele é realizado exclusivamente dessa maneira e o paciente não precisa realizar nenhum tipo de procedimento em casa. Nesse caso, os dentes são clareados com aplicação de produtos mais concentrados, potencializados ou não pelo laser, e o tratamento é mais rápido.

Uma vantagem do clareamento em consultório é a proteção dos tecidos bucais, que não entram em contato com o gel. Faz-se um isolamento da gengiva e dos lábios de forma que o produto entra em contato somente com os dentes, não havendo também a deglutição e possível ação do peróxido de carbamida no trato gastrointestinal.

Já o clareamento caseiro requer uma preparação maior, porque para ser feito o dentista confeccionará uma moldeira específica para o paciente. Depois, o próprio paciente será responsável por fazer a aplicação do gel clareador em casa.

Seguindo a orientação do dentista, ele usará a moldeira com o gel diariamente, pelo tempo determinado pelo especialista. Esse tratamento traz resultados mais lentos, mas também proporciona a tonalidade desejada.

2. Por que nem sempre os dentes ficam branquíssimos?

Uma das perguntas mais comuns sobre clareamento dental, e que também confunde um pouco as pessoas, é porque nem sempre é possível alcançar o branco desejado. Afinal, o resultado do tratamento varia para cada pessoa, de modo que algumas não conseguem chegar à tonalidade esperada.

Isso acontece porque, no processo de clareamento, ocorre uma reação química entre o agente clareador e os pigmentos dos tecidos. As moléculas do dente passam a refletir a luz de uma forma diferente, conferindo uma aparência mais clara.

Porém, para cada pessoa essa reação é diferente e a saturação da cor pode ser mais ou menos intensa. Por isso, em razão dessa e outras características ou particularidades de cada um, o tom alcançado varia.

O dentista também pode indicar um limite seguro para clarear os dentes, de forma que o tratamento não afete a saúde deles nem provoque problemas como hipersensibilidade dentária.

3. É verdade que nem todo mundo pode fazer o clareamento?

Sim, é verdade que o clareamento dental não é indicado para algumas pessoas e em casos específicos. A começar pela idade, sendo que para adolescentes com menos de 16 anos não é recomendado clarear os dentes.

Isso porque nessa faixa etária os dentes ainda possuem uma câmara pulpar muito ampla e seu esmalte também é mais permeável. Isso pode resultar em hipersensibilidade, caso o procedimento seja feito.

O clareamento também não é indicado para:

  • mulheres grávidas e lactantes;
  • fumantes;
  • pessoas que sofrem com hipersensibilidade dentinária;
  • pessoas que fizerem recentemente quimioterapia ou radioterapia;
  • casos de hipoplasia dentinária;
  • e alguns casos de fluorese dentária.

O clareamento também não branqueia o material artificial que é utilizado para restaurar a estrutura dos dentes (resinas, porcelanas, acrílico). Então para estes dentes, será necessário a troca das restaurações que apresentarem diferença de cor ao final do tratamento.

O escurecimento do esmalte ou as manchas provocadas pelo uso do antibiótico tetraciclina exigem cuidado no tratamento. O ideal é que seja considerada a recomendação do dentista nesses casos.

Ele irá avaliar os dentes, a saúde e as condições de sua estrutura, para então diagnosticar se o clareamento é ou não indicado e se surtirá efeito. Por isso, em todas as circunstâncias é preciso antes a avaliação do dentista.

Se ele não recomendar o clareamento, o ideal é pedir o seu conselho sobre alternativas para melhorar a estética dos dentes. Jamais tente realizar o procedimento em casa utilizando receitas caseiras, pasta de dente clareadora ou os kits de clareamento vendidos sem restrição.

4. Os dentes ficam sensíveis depois do clareamento?

Durante o tratamento os dentes podem ficar sensíveis, mesmo para quem nunca sentiu esse incômodo. A intensidade dessa sensibilidade varia para cada pessoa, mas não é motivo de preocupação.

Depois de terminado o tratamento, os dentes voltam ao seu estado natural e a sensibilidade vai embora. Adicionalmente, o dentista indicará métodos para aliviar o incômodo enquanto o paciente estiver sendo submetido ao processo.

Em alguns poucos casos, o paciente poderá apresentar sensibilidade mesmo depois de encerrar o tratamento. Para minimizar esse risco, é preciso que o procedimento respeite o limite de segurança para a saúde bucal.

5. É preciso fazer a manutenção do clareamento?

Há quem acredite que, uma vez feito o clareamento, os dentes vão se manter com o tom claro para sempre. No entanto, isso não é verdade. Os dentes vão voltar a escurecer ou amarelar com o tempo, de forma sutil, mas isso vai acontecer.

Naturalmente, os dentes ficam amarelados em razão da idade e também dos pigmentos provenientes da alimentação. Por isso, é preciso fazer a manutenção do clareamento, que chamamos de re-clareamento.

Esse procedimento pode ser feito tanto no consultório como em casa, com acompanhamento. Em qualquer dos casos, o tempo de duração será menor, pois é preciso apenas fazer um retoque na cor. O tempo de duração do clareamento varia para cada pessoa, sendo em média 2 a 3 anos.

6. Existe uma forma de manter os dentes brancos por mais tempo?

O tempo de duração do clareamento pode ser ou maior ou menor em função do cuidado que o paciente terá com seus dentes. Certos hábitos e alimentos provocam manchas e amarelam os dentes, e por isso, eles comprometem o tratamento.

Para manter os dentes brancos por mais tempo é preciso evitar o uso de tabaco, um dos maiores vilões para a estética do sorriso. Também bebidas alcoólicas e refrigerantes, que podem deixar o esmalte mais poroso, aumentando as chances de aparecerem manchas.

Alguns alimentos também possuem corantes, tanto naturais como artificiais. Esse é o caso da beterraba, açaí, chás, café, entre outros. Seu consumo não é proibido, porém, após a ingestão é importante higienizar muito bem os dentes.

O cuidado com a higiene é fundamental para manter o clareamento, porque além de evitar as manchas provocadas por alimentos, a higienização também controla o pH da boca, previne as cáries e evita a formação da placa bacteriana.

Agora que as perguntas frequentes sobre clareamento dental estão respondidas, você pode perceber como esse tratamento traz vantagens. Afinal, ele valoriza os dentes e garante um sorriso mais branco e saudável, renovando a aparência e aumentando a autoestima.

Você tem alguma dúvida sobre clareamento que não foi respondida aqui? Conhece alguém que fez o tratamento? Deixe seu comentário!