A preocupação com a estética corporal está cada vez mais presente na sociedade. O cuidado com a saúde se observa também na busca por dentes mais brancos, o que estimulou o mercado a oferecer uma grande gama de cremes dentais clareadores.

Tornaram-se comuns na mídia os comerciais desses produtos, com artistas expondo seus sorrisos com dentes simétricos e muito brancos. Mas, a dúvida que surge é se realmente os cremes cumprem o que prometem nos comerciais.

É por isso que no artigo de hoje vamos falar sobre esses cremes, sua eficácia no clareamento dos dentes e se podem ou não causar algum malefício para a saúde bucal. Continue lendo e esclareça suas dúvidas.

Qual é a eficácia dos cremes dentais clareadores?

Antes de tudo, é necessário conhecer qual é a composição das pastas que se propõem a clarear os dentes. Veja a seguir o que elas contêm e como essas substâncias atuam sobre o esmalte dentário.

Fórmula dos cremes dentais clareadores

A maioria dos cremes apresentam em sua fórmula alguns agentes abrasivos, outros associam essas substâncias a peróxidos em baixa concentração e, recentemente, surgiram produtos que acrescentam na fórmula o tripolifosfato de sódio.

Mas, o que acontece é que os agentes abrasivos contidos nos cremes dentais (sílica hidratada, pirofosfato de cálcio, silicato de zircônio, carbonato de cálcio, por exemplo) acabam tendo uma ação semelhante a um polimento e não a um clareador, propriamente dito.

Tal limitação ocorre porque os abrasivos não conseguem atuar na estrutura interna dos dentes e, por isso, sua eficácia é limitada às manchas que não conseguiram se impregnar nos dentes, como as causadas pelo fumo ou alimentos.

Por agir como se lixassem o esmalte dos dentes, os agentes abrasivos podem aumentar a sensibilidade, embora algumas marcas já ofereçam opções que previnem esse inconveniente.

Já os peróxidos, por serem oxidantes, contam com uma excelente ação clareadora. O problema é que o produto, para atingir o efeito desejado, deve ser aplicado em alta concentração.

O uso concentrado não ocorre na composição dos cremes clareadores de venda livre, devendo ser armazenado e administrado sob a supervisão do dentista, com medidas de proteção para a gengiva e outros tecidos moles da boca para evitar queimaduras.

Recentemente, chegaram ao mercado cremes dentais que trazem em sua composição o tripolifosfato de sódio, cuja fórmula não atua por meio mecânico. Esses cremes oferecem uma boa função preventiva, pois agem por meio químico, competindo com as moléculas que formam as manchas nos dentes.

A desvantagem, porém, é que assim como os agentes abrasivos, os produtos não conseguem penetrar na parte interna do dente, sendo, então, pouco eficazes na função clareadora.

Existem efeitos colaterais provocados por esses cremes?

Embora pareçam inofensivos, os cremes dentais podem trazer resultados indesejados para quem os utiliza. Os possíveis efeitos colaterais podem variar entre um leve aumento da sensibilidade até o aparecimento de manchas ainda mais escuras.

A sensibilidade se manifesta porque, devido ao processo de abrasão, acontece a remoção de camadas do esmalte dentário. Com isso, acaba-se expondo a dentina, que é uma camada mais sensível, na qual há canalículos que possibilitam às substâncias atingirem as partes nervosas do dente, o que causa a dor.

Por ser porosa, essa camada também fica mais suscetível ao desgaste. E ainda pode acontecer de os pigmentos contidos nos corantes dos alimentos penetrarem nos poros dos dentes, aumentando as manchas.

Qual é a posição dos dentistas sobre esse assunto?

De um modo geral, podemos afirmar que os cremes dentais clareadores não proporcionam a mesma eficácia e qualidade obtida com o clareamento profissional, o que não descarta o efeito satisfatório em manchas superficiais.

O uso desses cremes é recomendado como prevenção ou manutenção por mais tempo de um clareamento, previamente, realizado no consultório do dentista. Porém, nunca como seu substituto.

Recomenda-se, ainda, que seja feita a escolha de um produto que contenha em sua fórmula o tripolifosfato de sódio, que diminui o risco de hipersensibilidade. Assim, faz-se a manutenção do sorriso branco, sem oferecer risco para a integridade do esmalte.

Os bochechos com solução de clorexidina, que é um antimicrobiano tópico, podem causar manchas superficiais nos dentes, logo, os cremes branqueadores podem ser uma opção para prevenir ou retardar o seu surgimento.

Os especialistas concordam que os cremes dentais clareadores agem apenas em manchas superficiais nos dentes, mas não conseguem produzir o mesmo efeito do clareamento profissional executado em consultório odontológico.

No ano de 2009, a Associação Brasileira de Defesa ao Consumidor (PROTESTE) realizou um teste para verificar a eficácia das marcas líderes disponíveis no mercado, e concluiu que a maioria dos produtos não apresentou um resultado efetivo no clareamento dos dentes.

Embora algumas poucas apresentassem um resultado satisfatório na mudança de cor, todas elas se mostraram mais abrasivas do que as pastas de dentes comuns, o que explica a aparência mais branca.

Ficou comprovado, como dissemos neste artigo, que tal resultado é fruto da esfoliação do dente e não devido a uma ação química, como ocorre quando o clareamento é aplicado por profissionais qualificados.

Por isso, não é recomendado que os cremes dentais clareadores sejam utilizados livremente por qualquer pessoa. Afinal, eles podem não promover o efeito branqueador desejado e ainda trazer problemas bucais.

O ideal é sempre procurar por um especialista e pedir o seu conselho. Assim ele poderá avaliar cada caso e indicar o melhor método para branquear os dentes. Também sugerirá se o uso dos cremes pode ser feito ou não, sempre de acordo com as características de cada pessoa e o resultado que se deseja alcançar.

O uso das pastas branqueadoras, então, precisa ser feito com acompanhamento do dentista. Dessa maneira, é possível usufruir dos benefícios que algumas marcas podem trazer, sem arriscar-se com aquelas que, na verdade, não promovem efeito algum.

Para quem os cremes dentais clareadores são recomendados?

Pelo fato de algumas marcas realmente promoverem benefícios para os dentes, esse tipo de creme dental pode ser recomendado para alguns casos, como dissemos, por exemplo, para potencializar ou prolongar o efeito do clareamento realizado anteriormente.

Mas, os cremes clareadores não devem ser usados por crianças, devido à fragilidade de suas estruturas dentárias e que, por isso, merecem atenção especial. Na fase de 2 a 4 anos de idade, os pequenos devem utilizar escovas com cerdas macias e pouca quantidade de creme dental, já que é difícil evitar a deglutição.

Quanto aos adultos, para utilizar os cremes clareadores é necessário que tenham dentes naturais, não tenham hipersensibilidade, recessão da gengiva ou apresentem desmineralização do esmalte proveniente do consumo excessivo de açúcares fermentáveis.

Para evitar que o efeito abrasivo se potencialize, a escovação deve ser efetuada com escova de cerdas extra macias. Elas realizam uma limpeza mais delicada dos dentes e não exercem tanto atrito no esmalte quantos as demais, além de evitar problemas como a retração gengival.

Para usar os cremes dentais clareadores é imprescindível a prévia avaliação e orientação de um dentista, mesmo porque o efeito será nulo se as causas das manchas nos dentes não forem diagnosticadas e combatidas.

Quais são os métodos eficazes para de clareamento dos dentes?

As pessoas fazem uso dos cremes dentais clareadores com o intuito de obter um sorriso mais branco. Porém, esse resultado é alcançado, na verdade, com outros métodos que são realmente eficazes para clarear os dentes. Conheça-os!

Clareamento caseiro

Nesse método, o dentista solicita a confecção de moldeiras sob medida para cada paciente, e indica a utilização desse item, juntamente, com o gel clareador. O procedimento é feito em casa pelo tempo recomendado pelo dentista.

É preciso ter cuidado com as moldeiras pré-fabricadas, vendidas em kits de clareamento caseiro. Além de não respeitarem a anatomia de cada pessoa, ocasionando problemas de ATM, elas ainda podem conter substâncias nocivas e tóxicas, que alteram gravemente a saúde bucal.

As moldeiras para clareamento caseiro sempre devem ser feitas sob medida e o uso do gel segundo aquilo que o profissional indicar para cada um, já que cada pessoa tem suas necessidades e particularidades.

Clareamento em consultório

No consultório dentário, o clareamento, com ou sem a aplicação de laser, é uma técnica moderna, segura e eficaz, pois um gel clareador concentrado pode ser aplicado aos dentes, sem entrar em contato com a gengiva, mucosas e língua.

Nessa técnica, também não há ingestão do produto, que pode ser nocivo ao trato gastrointestinal. O método é realizado de modo que seja prevenida a hipersensibilidade e produz excelentes resultados. A quantidade de sessões é recomendada pelo especialista, segundo o tom que se pretende alcançar.

Também são respeitadas as características de cada pessoa, a fim de garantir segurança para sua saúde bucal, já que respeita-se um limite seguro para evitar que o paciente manifeste sensibilidade dentária após o tratamento, como dito.

Combinação casa-consultório

Muitas vezes, as duas técnicas são associadas para atingir um ótimo clareamento, especialmente, nos casos de manchas mais severas, e os cremes dentais são indicados como complemento de um tratamento profissional, por um tempo limitado.

Aqueles com menor poder abrasivo ajudam a manter controladas as manchas superficiais que poderiam fazer com que o clareamento perdesse sua eficácia antes do tempo. Mas, é preciso que o dentista recomende o creme clareador ideal, já que utilizando um que seja abrasivo demais, ele pode manifestar a sensibilidade e agredir o esmalte dos dentes.

Para todas as escolhas, é fundamental o acompanhamento profissional. E para manter os dentes brancos por mais tempo, também podemos adotar hábitos que vão ajudar nesse sentido, como os que apresentamos a seguir. Acompanhe!

1. Evitar alimentos que manchem os dentes

Aqueles ricos em corantes naturais ou industrializados, como o café, chás, vinho, açaí e outros, contém pigmentos que se aderem ao esmalte e provocam manchas.

2. Evitar o uso do cigarro

O cigarro também pode provocar o amarelamento dos dentes e fazer com que o clareamento perca o seu efeito branqueador em pouco tempo. Por isso, o hábito de fumar não combina com dentes brancos.

3. Mascar gomas que contenham xilitol

As gomas de mascar que são adoçadas com xilitol ajudam na salivação, e isso mantém o pH da boca equilibrado e evita a formação da placa bacteriana, o que pode amarelar os dentes e causar manchas.

4. Beber água

Beber bastante água ajuda a hidratar o organismo e também estimula a produção de saliva, o que traz os mesmos benefícios citados no item anterior.

5. Manter uma boa higiene bucal

O que elimina resíduos e previne manchas é a escovação diária com uma boa escova de dentes e uma pasta de qualidade. Faça a higienização pelo menos duas vezes ao dia para evitar a formação da placa bacteriana.

6. Consultar um profissional

As consultas com um bom profissional não podem deixar de acontecer, porque nelas é feito o controle da saúde bucal e também a limpeza de consultório, que ajuda a manter os dentes brancos e elimina manchas.

Com a valorização cada vez maior da aparência estética, a escolha correta da técnica de clareamento dos dentes, certamente, fará a diferença na sua vida social e profissional.

Embora os cremes dentais clareadores possam ajudar nisso, o ideal é pedir o conselho do profissional para obter bons resultados e manter sua boca saudável.

Como você pôde perceber, os cremes dentais clareadores funcionam apenas como um complemento do clareamento dental. Para atingir os resultados esperados, um profissional deve ser consultado, pois somente ele poderá indicar o tratamento adequado, inclusive, qual creme dental utilizar.

E o que você faz para manter os seus dentes brancos e saudáveis? Conte para a gente e deixe suas dicas fazendo um comentário!