A mordida cruzada é um termo muito comum, sendo um dos mais recorrentes problemas de oclusão. Geralmente a situação se inicia ainda na infância, quando as estruturas ósseas do crânio e da face estão se formando.

Sem tratamento, a mordida cruzada evolui e causa muitos transtornos na adolescência e na vida adulta. Vale salientar que, em alguns casos, a situação pode passar despercebida pelos pais, pois a criança pode apresentar um sorriso “perfeito”, com os dentes bem alinhados e posicionados.

No entanto, a função mastigatória nem sempre está correta, e por isso uma avaliação ortodôntica é indispensável durante a infância. Quer saber mais sobre a mordida cruzada e entender por que ela precisa ser tratada? Continue a leitura deste artigo!

O que é a mordida cruzada?

Chamamos de mordida cruzada quando a arcada superior não se encaixa perfeitamente na inferior. Pense como se a nossa boca fosse uma caixa com sua tampa: para que tudo funcione perfeitamente, é indispensável que exista um bom encaixe entre essas duas estruturas.

Quem sofre com a mordida cruzada tem uma inversão nessa relação, ou seja, os dentes da parte de baixo se posicionam mais para fora do que os dentes de cima, dificultando o encaixe adequado.

Justamente por isso, esse quadro também pode ser chamado de “mordida invertida”, levando a uma dificuldade para fechar a boca de forma correta.

Tipos

Existem muitos tipos de mordida cruzada, mas os mais comuns são:

  • mordida cruzada anterior, quando apenas os dentes da frente têm uma alteração no posicionamento;

  • mordida cruzada posterior, quando o problema se localiza em uma zona mais posterior da boca, podendo ser:

    • mordida cruzada unilateral, nos casos em que a oclusão está alterada apenas em um dos lados dos maxilares;

    • mordida cruzada posterior bilateral, quando o problema ocorre em ambos os lados da boca.

Como dissemos na introdução, nem sempre a má oclusão é visível, ou seja, é possível que a criança tenha os dentes “retos”, mas esteja com a função mastigatória comprometida. Assim, é fundamental buscar a avaliação de um especialista, ainda que o seu filho não aparente ter nenhum problema ortodôntico.

Causas

Geralmente os problemas de oclusão são causados por desordens genéticas, mas é possível que o quadro seja agravado com maus hábitos, como:

  • usar chupeta e mamadeira por muito tempo;

  • chupar o dedo;

  • morder objetos como tampas de canetas;

  • respirar pela boca.

Outras causas associadas são: crescimento anormal dos dentes, falta de espaço na arcada dentária, postura incorreta, perda precoce dos dentes de leite e desenvolvimento irregular dos maxilares.

Quais são as consequências da falta de tratamento da mordida cruzada?

Mais do que uma questão estética, a mordida cruzada causa diversos problemas orais e extraorais. Caso não seja tratado e se prolongue por muito tempo, o quadro resultará em um desgaste irregular da superfície dos dentes, causando uma série de questões como:

Outras questões importantes relacionadas à mordida cruzada são:

  • problemas no desenvolvimento dos ossos da face;

  • dificuldades na mastigação, respiração e fonética;

  • questões estéticas que podem levar a uma redução da autoestima.

Como tratar o problema?

O primeiro passo é identificar a situação. Mesmo nos casos em que a mordida cruzada não é visível, a criança poderá apresentar sintomas como ruídos no ouvido, dores de cabeça frequentes e dificuldades para abrir e fechar a boca ou para movimentar o maxilar. Nesses casos, é muito importante a avaliação de um ortodontista.

Tratamento ortopédico funcional

Se a questão for detectada precocemente, ou seja, ainda na infância, o tratamento mais recomendado é o ortopédico funcional, que pode ser usado mesmo na presença dos dentes de leite.

Ele consiste no uso do aparelho ortopédico funcional, que é removível, não causa dor e busca estimular os neurônios sensoriais da região da boca, de modo a “guiar” o crescimento ósseo, muscular e articular.

Outra possibilidade, também na infância, é o uso das Pistas Diretas Planas, que são alterações nos formatos dos dentes de leite usando resina, garantindo um contato mais desejável entre os dentes superiores e inferiores.

Expansor de palato

Esse tratamento também é recomendado durante a infância, mas pode ser realizado em adolescentes e adultos jovens. O expansor de palato é um aparelho fixado no céu da boca, entre os molares, que tem a função de “empurrar” os dentes para fora, forçando uma abertura da sutura palatina e causando um crescimento ósseo em largura da arcada superior, ou uma inclinação dos dentes de trás para fora. O tratamento exige consultas regulares ao dentista, que aumentará, de maneira gradual, o tamanho do expansor.

Existe também a possibilidade de expansão com expansor fixo ancorado a parafusos (minimplantes) fixados no palato para favorecer a expansão óssea e minimizar os efeitos dentários quando estão estão contraindicados. O protocolo, chamado de MARPE, pode ser utilizado em adultos com melhores resultados que o sistema convencional.

Tratamento ortodôntico fixo

Caso a mordida cruzada seja diagnosticada tardiamente, o uso de aparelho fixo é o mais recomendado. Em alguns casos, mesmo as crianças que fizeram uso do aparelho ortopédico podem precisar do aparelho fixo para uma correção mais adequada, mas com um tempo total de tratamento menor.

É muito importante fazer uma avaliação precisa com o ortodontista, que buscará compreender a origem da mordida cruzada — que pode ser apenas causada devido a um mal posicionamento dentário ou por um problema ósseo.

O tempo do tratamento dependerá muito do quadro e das causas associadas. Se o ortodontista tiver que realizar um descruzamento único, o procedimento poderá ser bastante rápido, resolvido em alguns meses.

Nos casos em que há um comprometimento de todo um setor ou o envolvimento do maxilar, a situação será mais complexa e o uso do aparelho ortodôntico terá que ser mais prolongado.

Invisalign

Sistemas de alinhadores removíveis como o Invisalign podem ser usados em casos sem atresia esquelética com relativo sucesso.

Cirurgia ortognática

É indicada quando a causa da mordida cruzada está relacionada a problemas ósseos e a correção precisa ser realizada em uma fase adulta. Ela deve ser associada ao uso do aparelho ortodôntico para uma resolução completa do problema.

A cirurgia ortognática consiste no reposicionamento adequado dos ossos dos terços inferior e médio da face. Esse é um procedimento muito técnico, mas que garante um resultado bastante interessante e seguro ao paciente.

Vale lembrar que, no caso dos tratamentos em adultos, algumas vezes será necessário também tratar os problemas adjacentes causados pela mordida cruzada, como o bruxismo, o desgaste dentário, a retração gengival ou as questões da ATM (articulação do maxilar).

É possível evitar a mordida cruzada?

Como você viu, em alguns casos a mordida cruzada é causada pela genética, mas os hábitos parafuncionais podem estimular esse processo. Por isso, a recomendação geral é para que os pais:

  • evitem o uso prolongado das chupetas e mamadeiras;

  • corrijam os maus hábitos das crianças, como chupar o dedo, roer tampas de canetas;

  • consultar o pediatra ou otorrinolaringologista quando existe alguma obstrução nasal ou nota-se que a criança respira pela boca;

  • estimulem o consumo de alimentos consistentes quando a criança começar a mastigar, de modo a fortalecer a musculatura e ajudar no desenvolvimento das demais estruturas;

  • realizem uma avaliação odontológica periódica, levando a criança ao dentista assim que os primeiros dentinhos começarem a aparecer, fazendo esse acompanhamento pelo menos uma vez por ano.

A mordida cruzada é um problema oral muito comum, mas que precisa ser tratado, já que pode levar a outras questões mais sérias. Existem vários tratamentos, tanto para os diagnósticos ainda na infância quanto na vida adulta — e quanto mais rápido você buscar esses procedimentos, menores serão os danos à saúde bucal.

Gostou deste conteúdo? Continue aprendendo e descubra como aliviar a dor do dente siso lendo o nosso conteúdo completo sobre o assunto!