O câncer é uma doença muito agressiva e os tratamentos, como a quimioterapia e a radioterapia, debilitam ainda mais o organismo. Por isso, problemas oportunistas costumam se manifestar nos pacientes imunossuprimidos. Esse é o caso da mucosite, uma inflamação que afeta os tecidos bucais.

Neste artigo, explicaremos ao certo o que é essa doença, quais são os sintomas que ela desencadeia e os tratamentos disponíveis. Continue lendo e veja, também, algumas dicas para se prevenir!

O que é a mucosite?

Entre os diversos problemas que afetam a cavidade oral, encontramos a mucosite. Ela tem uma característica diferente das demais, porque é uma reação orgânica que desencadeia uma inflamação por causa da toxicidade à qual uma pessoa é exposta em tratamentos para câncer.

A quimioterapia e radioterapia desencadeiam essa reação muito frequentemente. Vários tipos de tumores debilitam o organismo e favorecem a manifestação da mucosite. Esse é o caso daqueles que afetam o trato gastrointestinal, como o câncer de reto, estômago, colo e boca.

Pacientes diagnosticados com leucemia também podem apresentar essa condição. Entretanto, aqueles com maior risco de desenvolvê-la são os que se submetem ao transplante de medula óssea.

Quais são os sintomas?

A mucosite se manifesta em pacientes oncológicos porque a toxicidade atua nas células epiteliais da boca. Assim, acontece uma descamação excessiva por causa do atrito natural nessa região.

Como o tratamento dificulta a reposição celular, então formam-se feridas, deixando exposto o tecido conjuntivo subjacente. Nele estão localizados os vasos linfáticos, sanguíneos e feixes nervosos.

Os sintomas iniciais começam cerca de 2 a 10 dias após o início do tratamento, sendo:

  • vermelhidão;
  • inchaço;
  • sensação de queimação;
  • sensibilidade a alimentos condimentados ou quentes.

Depois de instalada, essa inflamação provoca:

  • dor intensa;
  • ulcerações;
  • dificuldade para se alimentar e falar;
  • sangramentos;
  • ardência;
  • redução da qualidade da saliva;
  • comprometimento da língua, gengivas, lábios, garganta e voz.

Os sintomas também desencadeiam reações que interferem na qualidade de vida da pessoa. Esse é o caso do estresse e da depressão, que dificultam as interações sociais, as tarefas rotineiras e compromissos.

É importante ressaltar que a mucosite afeta todo o trato gastrointestinal, desde a boca até o ânus. Sendo assim, é uma condição que exige atenção porque afeta gravemente o organismo do paciente.

Quais são os tratamentos para essa inflamação?

Ainda não existe um tratamento especificamente direcionado para mucosite, porque enquanto houver exposição aos agentes danosos, o paciente está sujeito à reação tóxica. Entretanto, são adotadas medidas para minimizar os danos e sintomas.

Medicamentos ajudam no combate à dor, sendo necessário realizar a devida higienização bucal para que a inflamação não se agrave e não haja contaminação das feridas, que podem evoluir para uma infecção em qualquer parte do organismo.

Um procedimento também utilizado é a laserterapia. Em caráter preventivo, ela é realizada antes da quimioterapia para diminuir a incidência e gravidade da inflamação. Também é utilizada para promover efeito analgésico e reduzir o processo inflamatório.

A vantagem desse procedimento são os resultados rápidos, auxiliando no processo de cicatrização das ulcerações e sem causar efeitos colaterais. Um grande atrativo em função de o paciente já estar debilitado por causa do tratamento oncológico.

Quais são as dicas de prevenção?

A única medida preventiva eficaz contra a mucosite é cuidar da saúde bucal com ainda mais afinco se diagnosticado com câncer. Isso porque algumas condições e problemas bucais favorecem a manifestação dessa inflamação. Esse é o caso de:

  • dentes cariados;
  • restaurações com infiltração;
  • doença periodontal;
  • uso de aparelhos protéticos;
  • cálculos salivares;
  • raízes residuais;
  • abscessos periapicais.

A presença de fungos e bactérias na cavidade oral também ajuda a estimular a mucosite. Além disso, é preciso ter atenção com certas condições que ajudam na proliferação de microrganismos patogênicos, como a placa bacteriana e o uso de próteses removíveis. Eles são oportunistas que podem desencadear infecções em pacientes imunossuprimidos.

A mucosite é uma inflamação que afeta gravemente a qualidade de vida dos pacientes sob tratamento oncológico. Por isso, é fundamental o acompanhamento com o cirurgião-dentista para que ele ajude a manter o equilíbrio da saúde bucal, prevenindo essa condição ou minimizando os seus danos.

Como dito, diversos problemas podem abalar nossa saúde bucal, então veja agora quais são os principais e como enfrentá-los para cuidar bem dos seus dentes.