Se o flúor faz bem para os dentes, então, quanto mais dele no organismo, melhor, certo? Na verdade não. Até mesmo aquilo que favorece a saúde pode fazer mal quando em excesso. No caso do flúor, pode desencadear a fluorose dental.

Esse problema é gerado na infância, mas se estende por toda a vida. Ele prejudica a estética do sorriso e, em casos graves, também a estrutura dentária, por isso, é importante preveni-lo.

Preparamos este artigo para explicar o que é a fluorose dental, apresentar algumas formas de prevenção e tratamentos. Continue lendo e veja como cuidar bem dos dentes, principalmente dos seus filhos.

O que é fluorose dental?

Embora o flúor fortaleça os dentes, quando esse mineral está em excesso no organismo causa problemas na estrutura dentária, em especial durante a infância. Nessa fase em que os dentes estão em formação, ainda dentro do osso alveolar, se houver um contato excessivo com essa substância manifesta-se a fluorose dental.

Os altos níveis de flúor provocam reações químicas nos dentes em desenvolvimento. Como consequência, sua aparência é prejudicada por manchas esbranquiçadas, amareladas ou marrons, que deixam um aspecto opaco, descuidado e doente.

Em casos graves causa hipomineralização. O esmalte se torna mais poroso e desgasta com facilidade, ocasionando erosão e sensibilidade dentária. Uma vez que acontece esse problema na criança ele não desaparece com o tempo, permanecendo durante toda a vida adulta.

É importante compreender que a fluorose não se caracteriza como patologia, porque ela não é causada por micro-organismos e também não é contagiosa. Sendo assim, não passa de pessoa para pessoa, manifestando-se exclusivamente por causa do contato excessivo com flúor.

Isso se dá pelo consumo de água excessivamente fluoretada ou alimentos que contenham esse mineral, e pela ingestão de medicamentos ou produtos de higiene bucal que também contenham flúor na fórmula.

Como prevenir esse problema?

A prevenção da fluorose dental deve acontecer desde a primeira infância, afinal, é nessa fase que os dentes estão se desenvolvendo. Na vida adulta não existe mais o risco de contrair essa condição, mas as manchas nos dentes afetados ficarão por toda a vida caso não se faça um tratamento estético. Sendo assim, os pais devem estar atentos à saúde bucal dos seus filhos. A seguir, veja algumas medidas que evitam esse problema.

1. Prefira produtos específicos para cada faixa etária

O ideal é que sejam utilizados produtos específicos para cada faixa etária na hora de fazer a higiene bucal. No início, a pasta de dentes deve ser isenta de flúor e gradativamente alterada para produtos com menores concentrações até a idade em que é utilizado os dentifrícios normais de adulto. Dessa forma asseguramos a concentração correta de flúor segundo as necessidades do organismo.

2. Informe-se sobre os níveis de flúor da água

É importante saber se a água de ingestão contém flúor e qual é a sua concentração. Isso porque se houver excesso da substância é importante ter cuidado ao oferecê-la para crianças. Nesse caso, é interessante tratar a água ou buscar outra fonte.

3. Evite a ingestão de produtos fluoretados

Até que a criança tenha maturidade para fazer a higiene bucal sozinha os pais devem acompanhar esse processo para evitar a ingestão do creme dental. Ainda que ele seja indicado para crianças, a deglutição frequente do produto também leva à fluorose dental. A quantidade utilizada na escova deve ser muito pequena, pois normalmente há a ingestão.

4. Esteja atento às medicações

Alguns medicamentos contêm flúor em sua composição, por isso, evite a automedicação. Se a criança precisar fazer um tratamento prolongado, converse com o médico responsável para saber se a fórmula é segura ou se existe a possibilidade de substituição, caso ela possa provocar a fluorose.

5. Mantenha uma alimentação equilibrada

Uma alimentação equilibrada é fundamental para garantir os nutrientes que os dentes e o organismo necessitam, na quantidade certa. Por isso, evite excessos e ofereça para a criança um cardápio variado.

As manchas do flúor não desaparecem com o tempo, mas podem ser tratadas com procedimentos como a microabrasão, restaurações em resina e facetas de porcelana. A melhor técnica é definida pelo dentista com base nas necessidades do indivíduo e na gravidade de cada caso.

Por isso, ressaltamos a importância do acompanhamento com um Odontopediatra, mesmo quando ainda bebês. Assim os pais podem receber as instruções que precisam para evitar a fluorose dental e diversos outros problemas bucais, garantindo um sorriso bonito com dentes saudáveis durante a vida adulta de seus filhos.

Gostou desse artigo? Deixe seu comentário e conte para a gente se você conhecia a fluorose dental e se sabe de alguém que tenha passado por esse problema.

Abraços,

Dr. Fausto Côrtes Isaac

Ortodontista – especialista pela USP Bauru

CRO GO 6430