Higienizar corretamente os dentes é fundamental para manter uma saúde bucal adequada. Além de outras condições, como predisposição individal e genética, uma higienização precária pode acarretar a formação de tártaro nos dentes.

O tártaro, também conhecido como cálculo dental, consiste na placa bacteriana que se deposita sobre os dentes e se calcifica progressivamente a partir dos detritos depositados em função de nossa alimentação e dos minerais da saliva.

A presença de tártaro pode ser extremamente prejudicial para a saúde dos dentes e da gengiva. Essa condição pode evoluir para quadros bem mais graves e requer cuidados especiais de um profissional dentista.

Pensando nisso, separamos aqui algumas das principais informações sobre o assunto. Confira e entenda como se forma o tártaro nos dentes!

Como a placa bacteriana se transforma em tártaro?

O principal fator que transforma a placa bacteriana em tártaro é a negligência de uma limpeza dental frequente e adequada. A partir dos detritos alimentares remanescentes na boca, ocorre uma grande proliferação dessas bactérias, formando a chamada placa bacteriana.

Progressivamente, ocorre um processo de endurecimento dessa placa bacteriana pelo depósito de minerais presentes na saliva e nos alimentos, que grudam ao dente ou outras superfícies duras presentes neles (próteses e aparelhos ortodônticos). Neste momento não é mais possível removê-lo somente com uma escovação normal ou fio dental, sendo necessária a intervenção de um dentista. A partir disso, passamos a chamá-la de tártaro dental.

Quais as complicações da formação de tártaro nos dentes?

O tártaro pode se formar em todas as superfícies dos dentes, inclusive dentro da gengiva, um espaço chamado sulco gengival. Uma dessas complicações é a irritação das gengivas, que pode levar à formação de um processo inflamatório conhecido como periodontite.

Além disso, a superfície rugosa e áspera do tártaro favorece o acúmulo e placa e a proliferação bacteriana, podendo aumentar inclusive a incidência de cáries.

Outra consequência desagradável da formação de tártaro é o mau hálito, que ocorre em razão da atividade bacteriana na deterioração dos detritos presentes nos dentes e do sangramento gengival decorrente da inflamação da gengiva. Há ainda a questão estética, uma fez que o tártaro pode trazer um aspecto bastante amarelado aos dentes pois ele se pigmenta facilmente com os alimentos e com o fumo.

Vale lembrar também que a presença de bactérias em excesso na boca pode causar problemas em todo o organismo. Uma vez que essas bactérias caem na corrente sanguínea após um sangramento gengival rotineiro quando se escova ou usa o fio dental, elas podem atingir outros órgãos, como o coração, causando processos inflamatórios bastante graves.

Como evitar a formação de tártaro nos dentes?

A formação de tártaro pode ser difícil de ser evitada em muitos pacientes pois ele depende de fatores individuais como o pH bucal e a constituição da saliva. Diferentemente da cárie ele não depende tanto da dieta, pois o açúcar neste caso não é o principal vilão.

Podemos citar como medida fundamental para a prevenção a escovação adequada dos dentes após cada refeição do dia. Além disso, o uso do fio dental também é indispensável, uma vez que com ele é possível retirar detritos que a escova de dentes não é capaz de alcançar.

Mesmo com uma escovação correta e regular, é extremamente importante que sejam realizadas consultas periódicas a um dentista. Somente esse profissional tem a capacidade de avaliar corretamente a saúde bucal, assim como de determinar a necessidade da realização de uma limpeza profissional ou raspagem do tártaro, que são as únicas medidas realmente eficazes para retirá-los dos dentes.

Gostou de saber mais como se forma o tártaro nos dentes? Comente as suas dúvidas e experiências abaixo!